domingo, 3 de fevereiro de 2019

Mas uma pessoa sozinha poderia controlar o estouro de uma barreira?


Vimos muitas pessoas, por causa da tragédia em Brumadinho, falando frases parecidas com esta: "Por que uma coisa destas aconteceu? Não tem explicação!" Eu vi sobreviventes e moradores do local, nos noticiários, repetindo isto. Vi comentários assim na Internet.
Houve quem respondesse: "Aconteceu porque negligenciaram a segurança quando... blá blá blá ", mas eu entendi o que as pessoas estavam perguntando realmente. A pergunta não era respondível com estas explicações sobre as falhas e erros de A, B e C. Obviamente que os culpados devem pagar, mas a questão era maior. Era vivencial.
As pessoas sentem um vazio imenso em casos assim. Um desamparo que nada consegue aplacar.
A sensação milenar dos seres humanos perdidos e sem qualquer poder para se proteger.
Desde que surgiram como espécie os seres humanos vivem este terror.
É claro que se agrupar em coletividades e entregar-se a religiões parece arrefecer este "nada", mas ao ser atingido por alguma coisa que não possa controlar (um desastre natural, um avião que cai, um raio, um derrame), sempre acontece outra vez. A tentativa desesperada de encontrar um meio de controlar aquela situação e a constatação aterradora de que se está entregue ao acaso e nada há a fazer.
Desde sempre se tentou obter algum controle sobre a própria vida. Desde que se pintava, com habilidades muitas vezes incríveis, animais nas paredes das cavernas antes das caçadas, para se poder dominá-los e vencê-los.
Sempre se precisou achar um meio de controlar o que parece ser absolutamente incontrolável.
Por favor, não traga respostas apenas religiosas. É claro que se pode orar ou seguir os ditames da sua religião, seja ela qual for, mas nem sempre funciona e quase nunca se consegue alterar situações aparentemente incontroláveis.
Peço encarecidamente que não me envie uma lista de milagres nem me convide para debates deste tipo. Não quero discutir teorias enquanto pessoas continuam a sofrer na prática. Gostaria de manter a conversa noutro nível. Algo assim: Todas ou quase todas as pessoas que foram atingidas em Brumadinho devem ter uma religião, mas mesmo que fossem atéias acredito que devem ter feito uma oração na hora do pesadelo vivido. Devem ter gritado o nome de Deus, o nome que conhecessem mais, acreditando ou não. E todas aquelas que, sendo religiosas e fiéis a Deus, também devem ter chamado e implorado a salvação de suas vidas. Não obstante, morreram. De uma forma assombrosa.
E é daí que surge a incansável pergunta que, pode calar-se na marra mas que não se cala no âmago: "Por que uma coisa destas aconteceu? Não tem explicação!"
Esta pergunta não se responde com: "Aconteceu porque negligenciaram a segurança quando... blá blá blá ". Esta resposta dá um suporte rápido e superficial ao intelecto. Pode-se até se conseguir dinheiro, ressarcimento dos bens, vitória na justiça, etc., mas a pergunta essencial estará lá no fundo guardada. Ela não se cala. Ela é emocional, além de lógica. Ela voltará a incomodar. E ela deixará para sempre a sensação viva de desamparo, injustiça, terror, vazio. Sensação que pode ficar amortecida por anos e anos. Mas será trazida à tona todas as vezes em que uma pessoa perceba a sua própria impotência diante de algum acontecimento que, se houvesse justiça, teria que haver um meio de poder ser controlado.
E por que se deveria calar esta pergunta?
E por que se deveria continuar a viver à deriva?
E por que um ser humano, como toda a religião reconhece, o ápice da criação, deveria viver para sempre como um animal e não como um ser humano?
Sim, um ser humano não é um animal.
E sim, um ser humano é inteligente e deveria conseguir criar uma forma de controlar os acontecimentos da própria vida que lhe pudessem atingir.
Aí, neste ponto, há a seguinte interrupção, que já conheço de cor: "Os seres humanos estão afeitos à Vontade de Deus e não têm que controlar as coisas que são simplesmente demonstrações da Vontade Dele".
Ok, vamos lá. Pelo menos a gente sai mais inteligente ao conversar sobre isso.
Meu argumento é: Por que as pessoas, só por não terem ainda uma resposta entendível para um problema, debitam na conta "Vontade de Deus" toda sorte de desgraça que assola o mundo? Por que alguém diria que aquilo (ser morto afogado na lama) é a Vontade de Deus?
Eu não sei qual Deus as pessoas andam louvando, mas um Deus assim parece mesmo Deus?
Por que não se pode debitar em "Vontade de Deus" aquilo que dá certo? Que tal o seguinte: Vontade de Deus é viver e não morrer soterrado em lama? Você realmente não acha que isso soa mais verdadeiro?
Por que Deus quereria destruir Sua criação e de maneira tão lancinante (animais, bebês...)?
Se alguém apelar para o Dilúvio, dizendo que a humanidade está corrompida como naquela época e merece ser castigada da mesma maneira, eu terei de perguntar: "Mas em Brumadinho?! Por que não começaria pelos bandidos, assassinos e corruptos?!"
Bom, meus caros, sinceramente há uma resposta para a questão: "Por que uma coisa destas aconteceu? Não tem explicação?!" e esta resposta não é "Foi a Vontade de Deus".
Tem explicação sim.
E é até simples a explicação.
O problema todo não está em não entender a explicação e sim em não aceitá-la.
Fugirei o quanto puder de argumentos calcados em ciência ou que requeiram conhecimentos profundos de matemática ou filosofia. Apenas pensemos. Você é tão munido de inteligência quanto qualquer ser humano. Usemos este recurso então, é nosso aparato.
Há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seria capaz de impedir um desastre natural?
Há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seria capaz de impedir que uma pessoa estivesse presente no momento em que uma desgraça se abatesse sobre uma cidade?
Há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seria capaz de fazer um assassino deliberadamente abaixar a arma, dar as costas e sair andando, como se tivesse decidido que não queria mais atirar na vítima, sem que nenhuma ameaça fosse feita a ele nem nenhum policial estivesse por perto?
Há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seria capaz de proteger um único homem de uma multidão enfurecida, fazendo-a desistir e deixá-lo incólume?
Há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seria capaz de trazer de volta uma pessoa dada como morta?
E, principalmente, há algum poder, em algum lugar, ou que você já ouviu falar, seja aonde for, que seja capaz de fazer estas coisas e outras sempre que seja requisitado? Sempre? (não às vezes, não eventualmente, mas sempre)
Quando chegamos aqui, as respostas são invariavelmente: "Só Deus!"
Ok.
Não vou discordar disso.
Deus sim, pode.
Eu poderia demorar bem mais explicando e explicando, mas não quero esta complexidade. Ao contrário. Um outro dia talvez a gente se encontre de novo e complique bastante, mas não hoje nem agora.
Você lembra certamente daqueles homens pré-históricos que citei mais cedo. Aqueles que pintaram nas paredes das cavernas para exercer domínio sobre a caça.
Havia algum tipo de poder no qual eles acreditavam.
Um poder que poderia torná-los poderosos, digamos, por empréstimo.
Eu aceito se você disser que eles estavam tentando falar com Deus. Eu não sei se eles achavam que havia um Deus, pois não sei se o pensamento deles teria chegado a isto, mas eles certamente acreditavam de algum modo, do modo deles, em algum poder. Então podemos simplificar que sim. Eles tentavam fazer com que Deus os ajudasse a ter poder sobre aquilo que eles sozinhos não teriam.
O ponto aqui é: eles usaram um meio para alcançar este seu objetivo.
Eles estavam tentando fazer uma espécie de ponte entre eles (seu grupo) e aquele poder que daria a eles o domínio sobre as condições exteriores.
Neste momento acontece outra interrupção, mais ou menos assim: "Já tenho esta ponte. É a minha religião, minha fé e as orações que faço".
Eu respondo a esta objeção da seguinte maneira: Eu sei. Todos temos. Foi por isso que usei o homem pré-histórico como exemplo. Todos encontram o seu meio, desde crianças. É a única coisa que buscamos a vida toda, embora não nos conscientizemos disso com esta clareza que acabei de escrever aqui. Só temos feito isso desde que deixamos o líquido amniótico (a barriga da mamãe). Buscamos controle, segurança e sobrevivência vinte e quatro horas por dia.
O que diferencia completamente (com-ple-ta-men-te) os resultados obtidos é a constância. (Sabe a Constância? Aquela moça bonita que... não, não, eu estou brincando, desculpe).
Se você usa um recurso (pintar um búfalo na parede da caverna, por exemplo) e este recurso funciona eventualmente, ok, você atingiu algum resultado. Parabéns. Fico aqui na torcida que funcione quando você estiver numa tragédia mesmo. O eventual tem estes problemas. Pode fazer o seu time ganhar ("Valei-me! Vai, chuta esta bola! É gol! Obrigado, meu Deus!") e pode estar fora da área de cobertura ou desligado quando você precisar ao atravessar uma cidade na qual estoure uma barreira de rejeitos. A loteria tem destas coisas. É uma vida bastante interessante, roleta-russa, há quem goste. Gosto não se discute.
Agora, e se o recurso usado (pintar um búfalo na parede da caverna) funcionar sempre?
Desenhou o bisão lá na parede, você tem bisão para o café da manhã.
Desenhou o bisão lá na parede, você tem bisão para o almoço.
Desenhou o bisão lá na parede, você tem bisão para o lanche.
Aí começa a vender carne, consegue armas e vestes, vai acumulando cavernas e crescendo na vida. Vai percebendo o alcance que aquele recurso tem? O recurso que funciona sempre.
Pense o seguinte: Por que Deus faria um mundo para que Sua criação sofresse o tempo todo? Por que seria tão absurdo encontrar uma via de comunicação eficiente com Ele que lhe pusesse em segurança para o resto da vida? E por que não seria certo usar recursos que lhe melhorassem a vida, a saúde, a proteção? Você não tem celular? Não usa Internet? Não usa centenas de coisas que você não tem idéia de como funcionam? Nem o carro nem o smartphone você é capaz de entender direito. Você usa. Não existe a dúvida se é ou não a Vontade de Deus. É um recurso extremamente útil para você hoje, e pode ajudar quase todas as áreas da sua vida.
É assim que afirmo: é a Vontade de Deus que cada pessoa possa ter a chance de proteger a sua vida. ("Não me alegro com a morte de um pecador. Por que vocês estão querendo morrer, Filhos de Israel?")
Como eu disse, não era difícil explicar, mas aceitar.
Eu sei que as convicções de alguém não mudam de uma hora para a outra. Mas ao menos você sabe que há alguém dizendo isso aqui.
Isto o que? (você está se perguntando "Isto o que?", porque o texto é tão longo que você já não sabe mais do que trata, risos)
ISTO: Você pode ter poder sobre acontecimentos que parecem impossíveis de se controlar.
Você pode alterar um desastre e sair dele incólume. (sendo um ser humano assim como é agora)
Você pode estar envolto em segurança tal que não seja atingido por desgraças .
Você pode impedir coisas que hoje parecem a você totalmente impossíveis de serem impedidas.
E mais: você pode fazer isso hoje, já, com os recursos que tem, se realmente quiser.
Vou encaminhar você para um link onde você poderá ler muito mais sobre isso.
Agradeço a sua companhia até aqui.
Foi mesmo muito gostoso ficar com você até agora. Você é uma excelente companhia.
Até mais, sinceramente,
Nunes.
www.aggm.org


Papa Xico: “homossexualismo e pedofilia são coisas diferentes “ Tão tá.