segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Não é o que parece!

O verdadeiro significado do Natal

O que o Natal significa para você? Para muitas pessoas é uma festa religiosa, em que os cristãos celebram o nascimento de Jesus. Mas caso se faça uma pesquisa mais detalhada, se descobre que a origem do Natal vem da Antiguidade, muito antes do Senhor Jesus ter vindo a Terra para dar uma chance de Salvação à humanidade.
Para entender o que originou essa comemoração é preciso voltar pelo menos 7mil anos antes do nascimento de Jesus, quando se celebrava o solstício de inverno, que tem a noite mais longa do ano no Hemisfério Norte e acontece no final de Dezembro. Depois dele os dias começam a durar mais do que as noites, sendo interpretado como uma vitória da luz sobre a escuridão
Os romanos chamavam essa comemoração de  “Saturnálias ” (férias de inverno) em homenagem a Saturno, considerado o Deus da agricultura, que permitia o descanso da Terra durante o inverno. Assim, essa data deu origem a diversas festas pagãs e a celebração em Roma se tornou reflexo do solstício.
Em aproximadamente 2 d.C, a data passou a homenagear o “nascimento” do deus pagão persa Mitra, que representava a luz para eles. Mitra, então, ganhou uma celebração exclusiva: o Festival do Sol Invicto.
Passadas algumas centenas de anos, em 221 d.C., o historiador cristão Sextus Julius Africanus propôs à Igreja Católica fixar o aniversário de Jesus no dia 25de Dezembro, data do nascimento de Mitra. O Imperador Constantino, então decretou oficialmente, em 313 d.C., que o dia seria a data do nascimento de Jesus, fazendo uma fusão do culto solar com o culto cristão.
Assim, o Festival do Sol Invicto mudou de homenageado. Dessa forma, o Natal passou a ser uma comemoração cristã, porém, herdando os costumes pagãos.
É curioso que não existe nenhuma informação oficial a respeito da data de nascimento de Jesus. Na verdade, diversos especialistas já afirmaram que se fosse para eleger um dia ele, com certeza, não seria no final do ano.
As datas religiosas  mais importantes para os  primeiros seguidores de Jesus só tinham a ver com a Sexta-feira Santa (crucificação) e a Páscoa (ressurreição). Líderes afirmavam que não fazia sentido comemorar o nascimento de Jesus, uma vez que seu propósito se cumpriu após a crucificação.
Outro ponto polêmico são os elementos do Natal. Muitos não sabem, mas a árvore de Natal também tem origem pagã. Os nórdicos celebravam na mesma data uma festa intitulada Yule. Coincidência ou não, as cores da celebração eram vermelha, verde, branca e dourada. As famílias decoravam uma árvore com sinos, a traziam para casa e colocavam ao pé dela presentes para os espíritos.
Outro elemento conhecido é o Papai Noel. Existem muitas lendas sobre ele, mas arquivos históricos afirmam que ele era um bispo da Igreja Católica chamado Nicolau, conhecido por sua generosidade. A caracterização da figura do Papai Noel ganhou forma em 1931, durante uma campanha publicitária da Coca-cola, que usava as cores vermelha e branca. Por isso, a imagem que se conhece hoje dele virou sucesso de marketing e se espalhou pelo mundo. E assim, desde o Império Romano, o Natal é a mistura entre elementos religiosos e pagãos, que se prolonga no comércio.
Não, não é um texto de um ateu criticando o cristianismo.

É um trecho do editorial do Jornal da Universal
E o pior que é verdade histórica!

Papa Xico: “homossexualismo e pedofilia são coisas diferentes “ Tão tá.